quarta-feira, 18 de maio de 2011

Correndo pela grama verde


              
               Vou correndo pela grama verde, apenas em minha cabeça. E na minha cabeça alguém estará me esperando quando eu chegar. Chegar onde não importa, pois estarei com alguém que nunca me abandonará, que segurará em minhas mãos com força o bastante para quebrar meus dedos. Não! Isso é exagero. Mas estarei correndo pela grama verde e o verei no fim da colina, ou em cima da colina, ou na beira do lago, ou talvez em cima de uma árvore. Quando me ver lançará um olhar misterioso. Não! Quando me ver sorrirá. Será tão bonito e tão odioso. Ficarei cheio de rancor e o céu ficará escuro. É que percebi a falsidade da fantasia. As coisas vão desmontando pelas beiradas. O horizonte pega fogo. Não! O horizonte derrete. Meu mundo é de gelo. Fogo é o que vem de fora. A grama estará molhada e não terei tempo de correr. Gelo por todos os lugares. Muita água e o fogo chegando, chegando. As teclas de todos os pianos estarão quebradas. O fogo de fora toma conta do gelo de dentro. Me afogo na água que era gelo e me queimo no fogo, tudo ao mesmo tempo. Tudo dentro da minha mente. Vem tão forte que sinto dor de cabeça. Preciso de um comprimido. Remédio para dormir.  Vou dormir e sonho que vou correndo pela grama verde e alguém estará me esperando quando eu chegar. Chegar onde não importa, pois estarei com alguém que nunca me abandonará, que segurará em minhas mãos com força o bastante para quebrar meus dedos. Não! Isso é exagero. Mas estarei correndo pela grama verde e o verei no fim da colina, ou em cima da colina, ou na beira do lago, ou talvez em cima de uma árvore. Quando me ver lançará um olhar misterioso. Não! Quando me ver sorrirá. Será tão bonito e tão odioso. Ficarei cheio de rancor e o céu ficará escuro. É que percebi a falsidade do sonho. As coisas vão desmontando pelas beiradas. O horizonte pega fogo. Não! O horizonte derrete. Meu mundo é de gelo. Fogo é o que vem de fora. A grama estará molhada e não terei tempo de correr. Gelo por todos os lugares. Muita água e o fogo chegando, chegando. As teclas de todos os pianos estarão quebradas. O fogo de fora toma conta do gelo de dentro. Me afogo na água que era gelo e me queimo no fogo, tudo ao mesmo tempo. Tudo dentro do sonho. Vem tão forte que acordo. Acordo pensando que estou correndo pela grama verde...

5 comentários:

NeO R. disse...

Parece que tenho um campo verde. E hoje eu acordei muito sozinho.

Hoje não é como na minha história, que tem um campo com grama levemente amarelada, mas que tem alguem pra segurar na sua mão. É hoje o teu campo, o verde, pra mim. Eu estou só, me sentindo sozinho e delirando com alguém que não chega em cima de uma colina e que sorri e ao mesmo tempo me provoca tanto ódio e tanta dor e tanto mal estar e tanta idiotice para mim mesmo e dentro de mim para sempre pra mim.

Preciso de mais uma bolsa de gelo pra minha cabeça. Pra resfriar o meu sangue gelado. Pra me tornar indiferente. Vou à geladeira mas agora... parece que o meu gelo acabou. E que o sol, impiedoso e doloroso, começa a sair pra derreter o meu esquife.

Talvez cada gota de água do meu gelo derretendo seja a lágrima gelada e doce que cai do meu olho vermelho.

Acho que deveria acordar agora.

Anônimo disse...

isto é um conto...............................................................................................lindo.............................................................................rsrs............=)

Pamela Dal'Alva? disse...

enfim.. srsrs
vc me fez ter vontade de corre na grama verde..
corre cmg?

Marcelo Soares disse...

A palavra é: Nossa. Comecei no paraíso, lindo, com uma pessoa linda me esperando, em uma cena de filme na época do feudalismo, campos verdes, lagos bonitos, e, no fim disso, alguém me esperando. Terminei numa cena da época das bruxas, onde o céu fica preto, a pessoa linda se transforma num ogro e vem me devorar. Ja falei que amei o final.

Anônimo disse...

Fiquei com vontade de sentir o aroma da grama molhada... Respirar o ar gélido, sentindo o cálido aconchego do abraço do meu alguém... O alguém que nunca me abandonará...

Postar um comentário